Incêndio atinge galpão de óleo lubrificante em Santa Cruz

 

O galpão que pegou fogo na Estrada Padre Guilherme Decaminada na manhã desta quarta-feira (2), na altura de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, tinha 45 mil toneladas de óleo lubrificante armazenadas. As informações são de um soldador que trabalha próximo ao depósito. José Flandênio da Costa trabalhar na parte externa do terreno onde funcionava o galpão. Segundo ele, a área pertence à empresa TecTran. Às 11:32 h o incêndio já havia sido controlado.

 

Segundo o comandante do quartel de Campo Grande, tenente coronel Gilberto Silva Lopes o trabalho dos bombeiros foi dificultado pelo tipo de combustível que tinha no depósito.

 

"Tivemos o apoio da Cedae e trabalhamos com 60 homens. A maior dificuldade foi a natureza do combustível, que é o óleo lubrificante. Foi necessário ter um cuidado especial no uso da água, para não atingir redes pluviais e contaminar o meio ambiente. Eu julgo que o trabalho foi relativamente rápido e muito bem feito", explicou, completando que o galpão foi destruído. De acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, até as 9h, não havia informações sobre feridos ou sobre explosões no galpão, que fica no número 2.700 da Estrada Padre Guilherme Decaminada, que cruza a Avenida Brasil. A poucos metros do incêndio, há um posto de combustíveis.

 

Agentes dos quartéis de Santa Cruz, do Distrito Industrial do bairro, de Campo Grande e de Irajá tentavam combater o incêndio, às 8:25 h. Às 9 h, os bombeiros confirmaram que os quartéis Central, do Caju e de São Cristóvão também foram reforçar as equipes.

 

O representante do Instituto Estadual do Ambiente, Carlos Eduardo Strauss, que esteve no local, disse que o Inea trabalha para reduzir o impacto ambiental causado pelo incêndio. "A gente vem aqui para fazer uma avaliação e tentar minimizar o impacto que o vazamento desse óleo que está acontecendo, por enquanto ainda na parte interna. Um trabalho de controle para que não venha atingir nenhum recurso hídrico, como a baia de Sepetiba", afirmou Strauss.

 

O terreno do depósito pertence ao dono de um posto de gasolina que fica ao lado. No momento que o incêndio começou, havia seis funcionários trabalhando no posto. "Eu vi a fumaça por volta de 7:20 h e mandei um encarregado ligar para o escritório e chamar os bombeiros", explicou o frentista Luis Paulo dos Santos.

 

FONTE: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/01/deposito-no-rio-tinha-45-mil-toneladas-de-oleo-diz-funcionario.html

 

INEA ACOMPANHA RECOLHIMENTO DE ÓLEO DE DEPÓSITO INCENDIADO EM SANTA CRUZ

Técnicos do Serviço de Operações de Emergência (Sopea) do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) supervisionaram nesta quarta-feira (02/01) o trabalho de recolhimento de óleo no depósito da empresa PDV Brasil Combustíveis e Lubrificantes, na Estrada Padre Guilherme Decaminada, 2.700, emSanta Cruz, que foi destruído num incêndio. Parte do óleo contido nos tambores armazenados vazou para um valão na frente da empresa e para uma cisterna situada dentro do terreno do depósito.

 

Após um sobrevoo e uma vistoria na área em torno do depósito, os técnicos constataram que não houve contaminação dos rios da região. O trabalho de contenção, coleta e transporte do óleo começou durante a tarde, enquanto os bombeiros faziam o rescaldo do incêndio. A empresa recebeu notificação para apresentar a documentação relativa ao licenciamento, feito pela prefeitura, e terá de recuperar o terreno do depósito da contaminação pelo óleo.

 

FONTE: http://www.inea.rj.gov.br/noticias/noticia_dinamica1.asp?id_noticia=2024