Sobre o curso

O Curso Técnico de Nível Médio em Química na modalidade de ensino médio Integrado teve sua implantação aprovada pela Presidência da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC) no ano de 2012, e sua primeira turma de alunos iniciará suas aulas neste ano letivo de 2013 na Escola Técnica Estadual Santa Cruz (ETESC).

Atualmente, a ETESC é a única unidade de ensino da rede FAETEC que oferece o curso de Química nessa modalidade, sendo a única escola da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro pertencente a essa Fundação. A entrada de novos alunos se dá através de processo seletivo para o mesmo, oferecido em regime semi-integral.

Nossa missão é a de formar técnicos de nível médio em Química com as qualidades exigidas pelo mercado de trabalho, a partir de um enfoque próprio, atual e diferenciado. Para isso, busca-se uma forte integração entre a matriz disciplinar e as reais necessidades do mercado de trabalho. Você pode ter acesso a mais detalhes sobre o curso, na seção criada para esse fim.

A criação deste curso assume grande importância diante de dois fatos principais: a existência, até o momento, de uma única escola pública na região metropolitana do Grande Rio que o oferece, e a carência de profissionais qualificados para a atual realidade da indústria, que concentra a maior demanda por trabalhadores com experiência e qualificação profissional, em um mercado de trabalho em expansão na região onde a ETESC atua. Para isso, o novo curso procurará suprir a deficiência na oferta de vagas para a formação de técnicos em química aos jovens de uma região que possui os menores índices que medem o grau de desenvolvimento social do município do Rio.

Se você pensa em ser um técnico em Química - ou apenas está curioso sobre o que ele faz - pode saber mais um pouco indo até nossa área sobre este profissional.

Área geográfica de atuação

A ETESC situa-se no bairro de Santa Cruz, que faz parte da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro.

Os bairros vizinhos - Campo Grande, Sepetiba e Guaratiba - mantêm uma forte relação com Santa Cruz, porém, pode-se considerar  agora que os bairros do Recreio dos Bandeirantes e da Barra da Tijuca, com a inauguração da TransOeste, se integrem mais intimamente aos demais através da ligação feita por BRT entre a Barra e Santa Cruz.

Essa nova ligação expressa pode facilitar, por exemplo, o acesso de alunos moradores da região da Barra à ETESC.

Além disso, o bairro de Santa Cruz encontra-se em uma posição geográfica privilegiada por sua proximidade a outros municípios, como os de Itaguaí, Seropédica e Mangaratiba.

O mercado de trabalho

Na região de entorno da ETESC encontram-se instaladas diversas empresas e instituições que fazem uso de tecnologias relacionadas à área da Química. Entre elas, pode-se destacar 1:

  • Distrito Industrial de Santa Cruz, o maior do município, com 14 empresas ligadas à área de Química, entre elas a Gerdau, AGA, Pan-Americana, Novartis, Fábrica Carioca de Catalisadores, Rexam Latasa e Casa da Moeda;
  • Distrito Industrial de Paciência, com uma empresa pertencente ao setor químico e outra ao metalúrgico;
  • Distrito Industrial de Palmares, com oito empresas pertencentes a setores ligados à área de Química e afins (químicos, plásticos, minerais metálicos e não metálicos, mecânico, vidro, têxtil e couro), com destaque para a Alcoa;
  • Distrito Industrial de Campo Grande, com 13 empresas pertencentes a setores ligados à área de Química e afins (químicos, plásticos, minerais metálicos, metalurgia, bebidas e cosméticos), com destaque para a Inpal;
  • em Santa Cruz, a ThyssenKrupp CSA Companhia Siderúrgica do Atlântico e a Valesul Alumínio;
  • em Guaratiba, o Centro Tecnológico do Exército, a Embrapa Agroindústria de Alimentos (importantes centros de pesquisa) e a Michelin;
  • em Campo Grande, o Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO), a Companhia de Bebidas das Américas (AmBev) e a fábrica de vidros Rio;
  • em Seropédica, a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Embrapa Agrobiologia;
  • as Usinas Termoelétricas de Itaguaí, de Santa Cruz e de Seropédica;
  • as Estações de Tratamento de Águas do Guandu, em Nova Iguaçu, e de Esgoto da Barra, no Rio de Janeiro;
  • o Complexo Portuário de Itaguaí, com seus terminais de minérios (da Cia. Vale do Rio Doce), de carvão (da Cia. Siderúrgica Nacional) e de alumina (da Valesul).

Além dessas empresas mais próximas, outras empresas, como as pertencentes ao Complexo Petroquímico COMPERJ (que estará ligado à Zona Oeste através do Arco Rodoviário), as que estão sendo instaladas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) por conta das pesquisas e da extração do petróleo da camada do pré-sal, além de quase uma dezena de outras grandes empresas que também pretendem instalar centros de pesquisas no Rio de Janeiro por conta dessa nova área de pesquisa, ampliam o âmbito geográfico de acesso de um futuro profissional formado por esse novo curso.

Justificativa para o curso

O desenvolvimento industrial do país requer recursos humanos, nas Instituições de Ensino e Pesquisa e nas empresas, qualificados para conduzir os processos de inovação tecnológica e de otimização dos métodos de produção associados a um rigoroso controle dos seus impactos ambientais.

É possível observar-se, atualmente, uma forte carência na formação de mão-de-obra especializada na área de Química, principalmente devido ao fato de que havia uma única instituição pública de ensino que oferece o curso no modo integrado.

O curso técnico em Química da ETESC atende algumas das necessidades verificadas dentro do atual panorama mercadológico que se difunde entre as grandes empresas e que, aos poucos, começa a se desenhar como uma premissa importante nas modernas empresas de pequeno e médio porte, principalmente aquelas que prestam serviço ou são fornecedoras de empresas de maior vulto.

Dentre essas necessidades, as mais importantes são:

  • a modernização e o desenvolvimento da estrutura produtiva
  • a redução da dependência tecnológica
  • a adaptação de tecnologias para o contexto brasileiro
  • a redução de custos
  • a melhoria da qualidade
  • o controle e a prevenção da poluição ambiental dentro dos princípios do de-senvolvimento sustentável.

A demanda por pessoal técnico cada vez mais especializado e com ampla bagagem de treinamento – exigências de um mercado de trabalho mais e mais competitivo –, assim como a necessidade de conhecimentos operacionais práticos (e não apenas teóricos), serviu de base para a estruturação de um curso profissionalizante com uma matriz curricular com abordagens didático-pedagógicas e de aquisição de conhecimento que aproxime o seu aluno dos procedimentos técnicos mais modernos existentes nos seus respectivos campos profissionais.

Referências bibliográficas:

1. DAMAS, E. T. Distritos industriais da cidade do Rio de Janeiro: gênese e desenvolvimento no bojo do espaço industrial carioca.  Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal Fluminense, 2008. Niterói:[s.n.], 2008.

 

 

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!